WYTCHES

By Aline Schneider - 14:53

QUEM VOCÊ JURA?




WYTCHES é uma HQ em seis volumes criada pelo roteirista Scott Snyder e pelo ilustrador Jock, que começou a ser publicada em 2014 pela Image Comics, e saiu em volume único aqui no Brasil pela Darkside Books em julho desse ano.

Li o primeiro volume há um bom tempo, logo que foi lançado lá fora, mas como não consigo ler nada pelo pc fiquei considerando comprar o importado ou esperando alguma editora nacional publicar. E quão maravilhoso foi o anúncio de que uma editora tão preocupada com a arte dos livros quanto a Darkside é quem seria a responsável pelo lançamento de Wytches por aqui? Desisti do importado, esperei o volume nacional, e não me arrependi em nenhum momento, seja pela edição em si, mas principalmente pela história.

Em Wytches, Sailor Rook e sua família acabaram de se mudar para uma nova cidade após uma coisa terrível acontecer com ela. A garota, além de sofrer um bullying terrível dos colegas antigos de escola (e depois dos novos), tem que lidar com a preocupação excessiva dos pais, estresse pós-traumático, ansiedade... e a assombração das brvxas, que não conseguiu deixar pra trás mesmo se mudando do lugar onde tudo começou.

Afinal, jura é jura.



Além do de Sailor, seguimos também o ponto de vista do seu pai, Charlie. Ambos tentam resolver da forma que podem o que está os perseguindo enquanto tentam lidar com traumas do passado e entender os porquês de estarem vivendo todo esse pesadelo. Entre muitas reviravoltas, somos conduzidos a um final visceral e - pra mim, pelo menos - bem inesperado e surpreendente.

Assim como falei no meu post sobre filmes de bruxas, aqui somos apresentados a um novo conceito delas, criado por Snyder e explicado nos epílogos que também compõem essa edição. O autor teve a ideia para esse história após visitar, já adulto, a floresta em que brincava quando criança, e criava pequenas histórias sobre criaturas do mal que podiam viver ali. Suas brvxas são criaturas sedentas por medo e por sangue que vivem à espreita nas florestas, mas que também concedem desejos desde que haja algo - ou alguém - em troca. Um outro ponto que desencadeou o roteiro foi sua própria paternidade e os medos que ter e criar um filho causam, trabalhados com tanta maestria quanto o horror e o sobrenatural nessa história.

A arte de Wytches merece um comentário a parte. Jock, cocriador da história e ilustrador principal, trabalhou com Matt Hollingsworth na coloração, criando um trabalho único. Em momentos mais narrativos e tranquilos da história, temos cores quentes e imagens claras, enquanto em partes mais pesadas somos bombardeados com tons escuros e frios, páginas "sujas" e carregadas, que ajudam em toda a construção da tensão necessária para fazer desse um quadrinho de horror fora do comum e notável.



Mas, mais que a mitologia das brvxas, o terror ou a arte maravilhosa, a coisa mais marcante nessa história pra mim foi ver como Snyder conseguiu incorporar o bullying, ansiedade e o trauma de uma forma crível, transformando Sailor em uma personagem com a qual pessoas que sofrem com qualquer uma dessas coisas podem se relacionar e se ver representadas. Além dos medos como pai, o autor também usou suas experiências pessoais nesses assuntos para criar essa personagem, e esse tipo de narrativa ainda é pouco comum, porém extremamente necessária.

Se você gosta de histórias de horror tenho certeza que vai se encantar por esse quadrinho tanto quanto eu. Ou se você quer pelo menos quer dar uma chance pra alguma nesse mês do Halloween, que tal começar por Wytches?



WYTCHES [2014]
Scott Snyder e Jock
Darkside Books - 2017
192 páginas

  • Share:

You Might Also Like

1 comentários

  1. Bom, nem preciso comentar que li essa HQ por sua causa né? Lembro que você já tinha falado dela quando estávamos vendo os lançamentos da Darkside, e ficou super feliz de saber dessa edição!
    Gostei mais da segunda vez que li, acho que li errado da primeira haha. O final também me surpreendeu bastante, adorei isso.

    Muito legal ver como nosso foco acaba sendo um pouco diferente né, mesmo tendo gostos parecidos e tal, cada uma repara mais em uma faceta da história. Adorei as fotos também!

    ResponderExcluir