2017 em Livros

By Aline Schneider - 18:20

Esse post seria uma retrospectiva sobre meus favoritos no geral do ano, mas acabei transformando em um post só sobre os livros que li em 2017. E procurei alguma tagzinha pra responder mas não gostei de nenhuma - então, resolvi fazer um apanhadão geral de como foi esse ano em leituras. A Marsa também fez um post ótimo sobre as leituras dela esse ano, e me inspirou ainda mais pra esse post, não deixem de passar lá pra ver!

STEPHEN KING

2017 foi um ano no qual consegui retomar um bom ritmo com os livros e que, além disso, fiz ótimas leituras. Mas a cereja do bolo tem que ficar com finalmente ter conseguido ler completo It: A Coisa, do Stephen King, em milagrosamente menos de um mês e antes de assistir ao filme, o que era meu objetivo principal. Se tornou um dos livros da vida, mesmo com o final controverso, e incrivelmente, apesar das mais de mil páginas, foi um livro que acabei querendo recomeçar a leitura.


Além de It, do King li também completo e de uma vez, depois de ler espaçados e em volumes separados, as novelas de Quatro Estações. Em outro livro de contos e novelas lido nesse ano, Escuridão Total Sem Estrelas, também gostei de todas as histórias - 1922, que virou filme recentemente, é meu preferido deles, e O Gigante do Volante, o segundo conto no livro, é tão perturbador mesmo sem elementos sobrenaturais que tive que dar uma pausa de meses pra conseguir completar.

Reli Misery - meu livro preferido de todos dele, e um dos preferidos da vida, pra comemorar o aniversário de 30 anos de sua publicação - e 'Salem, que foi o mais fraquinho dos livros dele que li até hoje, mas ainda assim gostei. Se vai ter mais King em 2018? Vai.

RELEITURAS, NOVOS E VELHOS PREFERIDOS

Outra releitura que fiz, além de Misery, foi Deuses Americanos do Neil Gaiman, que segue sendo um dos livros da minha vida e que eu juro que tento entender porque tem gente que não gosta. É outro dos livros que termino querendo reler e tenho que me segurar pra não fazer isso. Só é uma pena eu não ter gostado da série o tanto que amo o livro, e por mais que o Bryan Fuller seja uma pessoa que confio muito, as "liberdades de adaptação" tomadas com a série tiraram bastante minha empolgação pras próximas temporadas. Mesmo com o Gaiman aparentemente amando tudo. Mas vou tentar assistir de novo, e ver se meus sentimentos mudam.

Tivemos o lançamento do livro novo do John Green, Tartarugas Até Lá Embaixo, com o qual tentei não me empolgar achando que meu amor pelo Jão Verde havia cessado, mas não. O livro é incrível, sensível e com uma escrita deliciosa, e indico pra qualquer um.


De outro autor fave meu finalmente encontrei pra baixar War of the Foxes, o segundo livro de poesias do Richard Siken, que mesmo não sendo tão pessoal comigo como foi a leitura de Crush, é um livro que dói na alma de tão cru e maravilhoso. Recomendo demais o trabalho do Siken, especialmente quem lê esses tweets em forma de verso que umas gentes aí escrevem e chamam de poesia SORRY NOT SORRY.

Um livro que entrou no hall dos preferidos do ano, e talvez da vida toda, foi No Mar do Toine Heijmans, super hypado na época que foi lançado aqui no Brasil pela Cosac Naify (que deus a tenha), e que, meus amigos, vale demais tudo o que falaram. Cento e poucas páginas de uma história angustiante, e com um final que me deixou NO CHÃO. Sensacional.

E reli Macbeth perto do Halloween. De novo.

O ANO DOS SCI-FI TRISTES

Ficção científica é um dos meus gêneros preferidos pra leituras, e sempre estou colocando livros assim no meio dos meus planos. Mas não contava que os maravilhosos 2001: Uma Odisseia no Espaço do Arthur C. Clarke (um dia o post falando dele e do filme sai, EU JURO) e O Homem que Caiu na Terra de Walter Tevis - que sinceramente não esperava amar o tanto que amei, que livro, que história, que etzão da p -, ambos que li logo no começo do ano, já entraraiam pro ranking das melhores leituras feitas em 2017. E não esperava que seriam livros tão emocionais pra mim.


Teve também três livros incríveis do Philip K. Dick que sempre me dão sensação de vazio existencial, amo. O melhor deles provavelmente foi Fluam, Minhas Lágrimas, Disse o Policial, uma história super maluca e acelerada em que você não sabe o que está acontecendo, e não consegue largar. É um livro sensacional. Também sanei minha dívida comigo mesma de ler Andróides Sonham Com Ovelhas Elétricas? - do qual esperava mais, ou algo diferente, mas ainda assim gostei bastante - e a compilação de contos Realidades Adaptadas, com histórias do PKD que viraram filme. Salvo um conto que não gostei tanto é uma antologia MARAVILHOSA, a Editora Aleph tá de parabéns por ter criado pra gente esse livro que não existe em mais nenhum lugar do mundo. (E falando em PKD e Aleph, vocês estão sabendo da série Philip K. Dick's Electric Dreams, com 10 episódios stand-alone em que cada um é um conto dele adaptado, e que a Aleph já prometeu editar tudo em um livro só pra gente? Se já num tô alucinada de expectativa???)

QUADRINHOS

Nessa categoria tivemos só coisa linda: Nimona e meu desejo de possuir tudo o que Noelle Stevenson faz, Violent Cases que é a primeira colaboração Gaiman-McKean e que dupla sensacional, Wytches que temos resenha aqui e Fragmentos do Horror do Junji Ito - que até queria fazer post mas o da Marsa será imbatível pra sempre -, um must read pra qualquer fã de horror, e que também acho que será uma ótima introdução pra quem não conhece o trabalho do Ito.

O último livro do ano foi Psicose do Robert Bloch, que - infelizmente - só não foi uma experiência mais completa pra mim por já conhecer a história, mas imagino que não existe quase ninguém que não conheça. Ainda assim, foi uma leitura maravilhosa, e recomendo a quem adora livros de suspense. Se você não conhece a história então, NÃO PROCURE NADA SOBRE, apenas leia. Tenho certeza que vai ser incrível.

As outras leituras feitas esse ano:
  • O Adulto - Gillian Flynn
  • Teaching My Mother How To Give Birth - Warsan Shire
  • Os Dois Mundos de Astrid Jones - A. S. King
  • O Ano em que disse Sim - Shonda Rhimes
  • O Circo do Doutor Lao - Charles G. Finney
  • Quatro Soldados - Samir Machado de Machado
  • Em Algum Lugar nas Estrelas - Clare Vanderpool
  • O Cheiro do Ralo - Lourenço Mutarelli
  • Twin Peaks: The Final Dossier - Mark Frost

Pra 2018, minha meta inicial são novamente 50 livros, e já estou com alguns desafios de leitura pra me ajudar a escolher o que vai ser lido. Vamos ver se vou conseguir não mudar essa meta, e espero nesse ano novo fazer leituras tão incríveis quanto em 2017!

  • Share:

You Might Also Like

3 comentários

  1. A coisa que eu mais amei esse ano foi me aproximar muito mais de você devido às nossas leituras! ♥
    Li muita coisa que você recomendou, comprei coisas que você recomendou também, comparamos nossas listas da Amazon e descobrimos que eram iguais, haha.

    Preciso ler mais Stephen King, já anotei isso mentalmente.

    Boa sorte nessa nova meta meu amor, desejo que se delicie com cada livro que escolher! E depois me indique pra eu demorar anos pra ler e depois amar, hahahahahaha. ♥

    Beijão.

    ResponderExcluir
  2. UAU, você conseguiu ler MUITA coisa boa em 2017! Estou querendo ler alguma coisa do Stephen King esse ano, de repente o Misery (que nunca li). Realmente "O Gigante do Volante" é perturbador demais, fiquei impactada também (como o livro todo, na verdade, os contos são incríveis).

    Estou empolgada com o Electric Dreams também, ansiosa para o lançamento!

    Um beijo :*
    Não Me Mande Flores

    ResponderExcluir
  3. Quaaaantos livrosssss! Quero me inspirar muito, mas se consegui um por mês já vou me sentir tão feliz. Na real, meio fail esse plano, porque em Janeiro comecei um que não terminei ainda. Palácio de Inverno, sabe? Assisti Misery em formato filme, mas fiquei beeem curiosa pra ler depois de tu dizer que é o teu favorito do King. Bjs!

    ResponderExcluir