O que foi e o que virá

by - janeiro 01, 2019

Já estou há bastante tempo com essa caixa de texto aberta mas parece que nada bom o suficiente sai. Esse é provavelmente meu maior problema quando penso em fazer textos aqui pro blog, mas eu tenho esperança que exercitar a escrita vai ser, de fato, o maior foco do ano que se inicia hoje.

O ano de 2018 foi, em inúmeros sentidos, uma grande prova de fogo, e não sei se existe algum vencedor nessa prova. Tive alguns altos e enormes baixos, especialmente no que diz respeito a mim mesma e minha saúde (física e mental), além da enorme falta de esperança no futuro que veio com o resultado das eleições. Estou tentando passar por cima, da forma que dá - seja fazendo planos, ou tentando, mesmo que a força, acreditar que algo pode sair de bom disso tudo.

Mais do que tudo, exaustão definiu esse ano pra mim. Muito trabalho e muito cansaço - também físico e mental -, e uma absurda sensação de estar estagnada e todo esse esforço ser em vão. Não conseguir desenvolver nada criativamente porque o trabalho formal me consome ficou na minha mente o tempo todo durante esse ano, e criou uma frustração tão grande que não consigo colocar em palavras. A gota d'água foram minhas férias adiadas duas vezes, e muitos dos planos que tive cancelados.

Ainda assim: fui a dois shows sensacionais, li muitos livros maravilhosos, assisti a um musical incrível, consegui viajar um pouquinho e voltei a uma das minhas cidades preferidas, assisti vários filmes e algumas séries ótimas. Arte é o que me move e o que mais me faz sentir coisas, e sempre acaba sendo meu ponto mais positivo do ano. Não cheguei perto de fazer tudo o que queria - mas tudo o que fiz foi incrível.

Completei 30 anos há dois dias. Pra esse ano, não vou colocar as metas aqui, como fiz nos anteriores. As tenho, claro. Mas não é nada extraordinário, ou muito fora do de sempre. Estou ansiosíssima pelo que o Rammstein está aprontando, tem muitos filmes prometidos pra esse ano que já estão na minha lista, mas, mais do que tudo, espero que essa década seja na minha vida o positivo que minha estada na casa dos 20 não foram.

Ainda tenho muita coisa pra mudar e melhorar. Espero ter conseguido fechar de vez um monte de portas, janelas e passagens secretas que me ligavam a coisas passadas, e, daqui pra frente, realmente só olhar pro que ainda pode vir.

You May Also Like

0 comentários

loathsomeness waits and dreams in the deep, and decay spreads over the tottering cities of men.” - h. p. lovecraft
REMEMBRANCE by ALINE SCHNEIDER EST. 2016