the queen


Aline tem 29 anos, é nascida, criada e moradora de São Paulo, capital. Entusiasta de cinema, literatura, café, maquiagem, música e teatro musical, futebol e bruxaria secular. Gosta mais de Rammstein do que de você e está sempre disposta a ouvir teorias sobre Twin Peaks e falar sobre House MD e filmes do Quentin Tarantino.

Acostumada por demais a escrever sobre si mesma em terceira pessoa, cria e deleta blogs há mais de dez anos, então não estranhe quando se esse aqui sumir do nada também. Mas está trabalhando em deixar maus hábitos de lado e focar nas coisas boas, tentando levar um dia de cada vez.

Tem fé que um dia vai conseguir escrever algo digno de ser publicado. Enquanto isso, vai lotando as estantes nas quais já não cabe quase nada com livros encontrados em promoções, faz milhões de listas de livros pra ler e tenta encaixar essa obsessão nas poucas horas livres que tem no dia. O sonho maior é viver de escrever, o segundo maior é viver de ler.

Tenta aos 29 ser a gótica de bom gosto que não conseguiu aos 18, porém segue falhando, e só vai parar de usar preto quando inventarem uma cor mais escura.


"Yes, I have the spleen, complicated with melancholy, with homesickness, plus hypochondria, and I am vexed and I rage, and I yawn, and I am bored, and I am tired to death, and I am stupid!
(Grantaire, Les Misérables)


Remembrance é uma palavra que remete a coletar memórias, e é a isso que esse blog se propõe. Apesar de já gostar da palavra, a inspiração para usá-la como título do blog veio de uma releitura de Hamlet, na cena em que Ophelia, já enlouquecida, traz as flores que colheu para o castelo e começa a distribuir entre os presentes.

LAERTES: This nothing’s more than matter.
OPHELIA:There’s rosemary, that’s for remembrance. Pray you, love, remember. And there is pansies, that’s for thoughts.
LAERTES: A document in madness. Thoughts and remembrance fitted.

  • Share: